quarta-feira, 19 de julho de 2017

Regência





 Regência sobre o filme Madagascar 3 - Os Procurados
   

Durante 10 dias a professora explanou sobre os animais domésticos e selvagens e, aproveitei a oportunidade e a orientação da mesma para usar como regência o filme: Madagascar, antes de iniciar o filme eu falei para os alunos sobre a história do filme (alguns conheciam outros não) e sobre os animais que apareceriam, logo no início fomos identificando os animais com o nome de cada um, se eram domésticos ou selvagens, habitat, comida preferida, tipo de pelo, qual barulho cada um emite e em que parte do planeta eles vivem.
Resultado de imagem para imagens filme madagascar 3

 Após o filme, fiz uma brincadeira com os alunos, levei  imagens de vários animais (que estavam e não estavam no filme) e à medida que mostrava a imagem eles falavam qual animal era, suas características e todas as informações apresentadas não só durante o filme, mas em todo o período da explicação.
Foi um momento divertido e educativo, pois nenhum deles tinham visto o filme com tantas informações. A professora que me orientou gostou do meu trabalho desempenhado, a mesma disse que eu fechei a explicação sobre os animais muito bem.
Foi um momento rico em conhecimentos e uma forma divertida de ensinar.

sábado, 29 de abril de 2017

Praça do bairro Vila Nova




 

                                                                                                             
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS
FaPP - Faculdade de Políticas Públicas “Tancredo Neves”
Curso: PEDAGOGIA
Disciplina: Metodologias do Ensino da Geografia e História
Unidade III: Letramento Geográfico: categorias centrais
 
Professora: Luísa Teixeira Andrade Pinho
Aluna: Maria Rodrigues de Almeida


 

Praça Vila Nova

 
Eu morei no bairro Vila Nova por muitos anos, e sempre tive muito carinho pela praça do bairro, uma praça grande, onde me permitia correr e subir nas árvores, eu via aquela praça como um parque onde toda a diversão era permitida, vivi momentos maravilhosos naquele lugar.

Lembro-me que tinha um vigia (guarda) que todos os dias molhava a grama e varria toda a extensão da praça, esse senhor trabalhou nessa função por muitos anos e, quando seu cargo foi extinto tínhamos a sensação que faltava algo na praça e nós sabíamos o que era. Eu e meus irmãos usávamos a praça como nosso lazer (moramos em frente à praça), todos os dias minha mãe nos levava até lá para brincarmos.  Com o passar do tempo fomos nos distanciando, mas nunca deixamos de adentrar a praça, tocar em suas árvores, pisar na grama fresca e sentar nos bancos.

A paisagem sofreu um pouco com o tempo, tinha uma planta com flores vermelhas que não existe mais, a grama não está tão verde como antes, há uma enorme árvore em frente à igreja católica, que mesmo quando está sem folhas é linda, todos a admiram.

Hoje tem uma academia (ao ar livre- projeto da prefeitura) montada na praça, pessoas de várias idades passam por lá e se exercitam, sentam, olham o verde, crianças brincam, sobem nas árvores, pula as escadas e correm de um lado para o outro. Tem o trailer de Jovecino, que reuni muitos casais nas laterais da praça, até hoje o trailer está lá, enchendo a praça de casais, jovens e família em geral.

Por um tempo, a praça sofreu com as atrocidades dos homens, o prefeito local não valorizava as praças e todas elas estavam desgastadas e escuras e com isso a praça perdia sua função (praça significa alegria, diversão), hoje as praças estão iluminadas, limpas e as árvores podadas. A vida voltou a existir nas praças e eu posso levar minhas sobrinhas para vivenciarem o que eu e meus irmãos vivenciamos.
Resultado de imagem para imagem da praça da vila nova em nanuque 

domingo, 26 de fevereiro de 2017


Faça um diário das leituras/fichamentos e da construção da lógica de raciocínio que você utilizou para elaborar o seu artigo científico.

Eu tive dificuldades na construção do artigo, talvez, devido for leiga no assunto e não ter todo o material necessário, a biblioteca da nossa cidade é muito escassa e, não consegui bons livros que debatessem sobre o assunto. A falta de um professor orientador foi muito sentida, mas, por fim, espero ter conseguido ter pelo menos uma ideia do que é um Artigo.

Para contribuir na construção do tema escolhido, alguns autores foram fundamentais com seus pensamentos e ideias, destacando: (TFOUNI, 2002), (FERREIRA, 2010), (VYGOTSKY, 1991), (FERNÁNDEZ 1990), (FONSECA, 1995). A metodologia utilizada foi a pesquisa qualitativa bibliográfica, tendo com foco principal a ação pedagógica do professor.

 FICHAMENTO DE CITAÇÕES:

Citação direta:

Conforme a ABNT (2002), a transcrição textual é chamada de citação direta, ou seja, é a reprodução fiel das frases que se pretende usar como citação na redação do trabalho.

Citação indireta:

Conforme a ABNT (2002) A citação indireta se caracteriza como uma espécie de paráfrase das ideias de um determinado autor, ou seja, o pesquisador, por meio de suas próprias palavras, interpreta o discurso de outrem, contudo, mantendo o mesmo sentido. Outro aspecto que deve ser levado em conta é a necessidade de o autor (ou os autores) e o ano em que a obra foi publicada serem mencionados.

 

FONSECA, V. da. Introdução às Dificuldades de Aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 1995.

 

“Dificuldades de Aprendizagem (DA) é um termo geral que se refere a um grupo heterogêneo de desordens manifestadas por dificuldades significativas na aquisição e utilização da compreensão auditiva, da fala, da leitura, da escrita e do raciocínio matemático. (FONSECA, 1995, p.71)”

 

 

SCOZ, Beatriz, Psicopedagogia e realidade escolar: o problema escolar e de aprendizagem. 6Ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

 

“A família é a instituição educacional mais importante, de maior projeção, responsável pela educação do caráter, da afetividade e do universo emocional e moral de cada cidadão. Quem tem uma família bem estruturada terá maior facilidade em aprender e a se desenvolver na escola em qualquer nível. (apud ANDRADE1999, p.12)”

 

 

ANDRADE, Claudimara. Dificuldades de Aprendizagem. Monografia

(Especialização em Psicopedagogia) - FAFIJAN, Faculdade de Jandaia do Sul, 1999.

 

“(...) alfabetização, em sentido comum, é o ensino das técnicas de leitura e escrita. Entretanto, como a leitura e escrita são apenas instrumentos para a formação humana, constituindo parte do processo educativo tomado como um todo, o termo alfabetização tem hoje um sentido mais amplo e funcional, abrangendo a soma de conhecimentos, habilidades, hábitos e atitudes que permitem ao indivíduo não só apossar-se dos elementos culturais entesourados pela humanidade através da linguagem escrita, mas, sobretudo, participar de maneira mais consciente e efetiva na vida comunitária. (ANDRADE, 1999, p.15)”.

 

 

 Na perspectiva de Vygotsky (1991, p. 89) “a aprendizagem é o resultado da interação dinâmica entre a criança com o meio social”, sendo que o pensamento e a linguagem recebem influencias do meio em que convivem.

 

Entretanto, Campos (1997, p. 103) acredita que o problema da dificuldade de aprendizagem nas escolas é proveniente de fatores reversíveis e não há causas orgânicas.

 

 Embora se tenha consciência das complexidades de fatores decorrentes das dificuldades de aprendizagem, segundo Ferreira (2010, p. 70), “serenidade, organização, responsabilidade, trabalho e empenho ajudam a enfrentar os desafios”.

 

terça-feira, 3 de janeiro de 2017






A minha infância foi marcada por muitas brincadeiras e gargalhadas, como somos cinco filhos (escadinha), sempre brincávamos juntos, minha mãe muitas vezes teve que agir de forma mais rígida para nos controlar, naquela época os brinquedos não eram tão acessíveis, nunca faltou a boneca e o carrinho, mas, sempre inventávamos algo novo.
Na escola as brincadeiras eram uma extensão da casa, brincar de pega pega, esconde esconde, cantigas de rodas, eram motivos para nossa alegria. Minha mãe só nos deixava perde aula por motivo de doença (doença mesmo), então eu sempre gostava de participar das aulas e rever os colegas.
Segundo PIAGET (1971), o desenvolvimento da criança acontece através do lúdico, ela precisa brincar para crescer.
Eu concordo que é preciso brincar para crescer, pois eu cresci muito com as brincadeiras de infância, com as crianças ao meu redor, com a vida que cada um levava, com o respeito que deveríamos dar uns aos outros e a valorizar as verdadeiras amizades.
Quanto aos professores da infância, posso dizer que fui abençoada, recordo de cada um com muito carinho, inclusive tenho contato até hoje com as professores da 3º e da 4º série, esta última, por exemplo, deixou algo memorável em mim, foi a primeira professora e pessoa que me levou para brincar no campo do estádio municipal, lembro como hoje que eu fiquei fascinada com a grandeza daquele local, corremos, pulamos, gritamos e lanchamos, essa imagem jamais sairá da minha memória.

Referências: